Panorâmica São José dos Campos FaceBook do POrtal São José Twitter do Portal São José
Home | Cadastre sua Empresa | Acessos | Fotos da Região | Créditos                               Segunda, 25 de Junho de 2018
Acesso à página principal
Logotipo Portal São José

Links Úteis

Salas de Cinema
Cinemark
Kinoplex


Consulte seu CPF
Legislação Federal e Estadual
Trânsito em São Paulo
Clima


Criação e
Desenvolvimento



Tel. 12 3923.4600
Av. Dr. Mário
Galvão, 78
Centro - SJC/SP
12209-004
BUSCA DE EMPRESAS NO PORTAL >>  
Acesse também: Jacareí
BUSCA DE CONTEÚDO DO PORTAL >>  
O conteúdo publicado não expressa necessariamente a opinião do Portal e é de total responsabilidade do autor.

Ave considerada extinta é redescoberta no Parque Estadual Serra do Mar


27/02/2018 ( Caderno: Meio Ambiente )

 

Esta é a segunda vez que a ave é registrada no Estado de São Paulo. A primeira vez foi há quase dois séculos. Descoberta comprova a importância das áreas protegidas

 

Uma descoberta histórica na área da ornitologia foi feita no Parque Estadual Serra do Mar e está chamando a atenção de especialistas e pesquisadores. O pato-mergulhão (Mergus octosetaceus) – uma das aves mais ameaçadas das Américas e uma das mais raras do mundo – foi registrado pela segunda vez no Estado de São Paulo, após 197 anos do primeiro registro, no Núcleo Padre Dória, em Salesópolis, numa área restrita à visitação. De tão rara, a espécie foi considerada extinta entre os anos de 1940 e 1950.

 

Publicidade

A ave foi encontrada pela vigilante do parque, Fabiana Pereira, que estava fazendo ronda de rotina com a máquina fotográfica que sempre a acompanha em seus trabalhos. De repente, viu uma ave que chamou a atenção pelo local onde se encontrava e resolveu fazer a foto. “Na hora pensei: parece um biguá. Olhando a foto, percebi que o bicho tinha um topete chique, mas não dei muita importância. Quatro meses se passaram, até que reconheci o pato-mergulhão numa reportagem da TV. Foi aí que caí na real, era uma ave considerada extinta no Estado de São Paulo e eu a encontrei! Sou apaixonada pela natureza e esse achado me deixou muito feliz, porque mostra a importância do parque e do nosso trabalho na preservação das espécies”.

Devido à relevância do registro, as equipes dos Núcleos Caraguatatuba e Padre Dória se uniram na elaboração de uma nota científica com o título: “Second record of Brazilian Merganser Mergus octosetaceus in the state of São Paulo, south-east Brazil, after almost two centuries” ou “Segundo registro do Pato-mergulhão Mergus octosetaceus para o Estado de São Paulo, Sudeste do Brasil, após quase dois séculos”. Tal nota foi submetida ao “Bulletin of the British Ornithologist s Club” e encontra-se em análise por este, que é um dos mais importantes veículos científicos voltados para a ornitologia no mundo (http://boc-online.org/bulletin).

Os autores da nota são o gestor do PESM-NUCAR, Miguel Nema Neto, a vigilante e autora do registro, Fabiana Dias Pereira, a gestora do PESM – NPDor, Ana Lúcia Wuo e o diretor regional da Fundação Florestal, Carlos Zacchi Neto. Segundo Miguel, “o trabalho demonstrou a importância do manejo adequado das Unidades de Conservação e suas zonas de amortecimento para garantir a perpetuação de espécies como esta. O pato-mergulhão é um dos patos mais raros do mundo e mais ameaçados das Américas. A partir desta descoberta, buscaremos apoio da comunidade científica para definirmos as estratégias de conservação, a fim de garantir a vida da espécie no local.”

O pato-mergulhão

Adaptado a cursos hídricos de regiões montanhosas, o pato-mergulhão vive em rios límpidos e caudalosos de altitude, principalmente em corredeiras, pousando em rochas e árvores caídas na água. Alimenta-se de peixes e outros animais da fauna aquática. Instala seu ninho nas fendas de rochas e em ocos de árvores mortas, às margens dos rios. Possui cor verde-petróleo, principalmente no macho, pés vermelhos e asas com detalhes brancos.

Pouco tolerante a impactos ao ambiente, o pato-mergulhão é sensível a impactos ao meio ambiente e requer um habitat muito específico viver. Qualquer alteração hidrológica em seu habitat, como a expansão das atividades agropecuárias, a poluição e barramento de rios e a supressão de vegetação ciliar, podem inviabilizar sua sobrevivência no local.


Fonte: Governo do Estado de SP - Sistema Ambiental Paulista / Foto Divulgação


  Meio Ambiente

Menos mata, menor deslocamento: Em matas fragmentadas, dispersão espacial do mico-leão-dourado cai de oito para 2 km
Campo rupestre no Brasil apresenta alta diversidade de espécies de plantas

E-MAILS DO PORTAL SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
Contato/Cartas: cidade@saojosedoscampos.com.br
Anúncios/Cadastros: cadastro@saojosedoscampos.com.br
Editorial: imprensa@saojosedoscampos.com.br
Criação/Arte: amorim@saojosedoscampos.com.br

Av. Dr. Mário Galvão, 78 - Centro
SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - SP
Telefax: (12) 3923.4600









 + Promoções
 + Classificados
• ALUGO apartamento cobertura em Campos do Jordão

+ História
Imagem Badue Cury e Josephina Cury chegaram no Brasil e em São José dos Campos em 1923
Imagem Imigrante libanesa, residente em São José dos Campos, vence prêmio mundial de fotografia com foto do Banhado
+ Dicas do Portal
Imagem Dica do Portal, O filme: DOJEITO QUE ELAS QUEREM!
+ Espaço do Consumidor
Imagem Locador de imóvel reclama a imobiliária de São José dos Campos o pagamento do IPTU atrasado
+ Matérias
Imagem Obra sobre a arquitetura moderna joseense comemora 20 anos. Veja fotos antigas da cidade
Imagem Prazo para alistamento militar 2018, em São José dos Campos, termina no próximo dia 30
+ Meio Ambiente
Imagem Campo rupestre no Brasil apresenta alta diversidade de espécies de plantas
Imagem Menos mata, menor deslocamento: Em matas fragmentadas, dispersão espacial do mico-leão-dourado cai de oito para 2 km
+ Poesia da Arte
Por Sonia Furquim
+ Turismo Diferente
Imagem Veja aqui reportagem fotográfica de algumas belas regiões de Minas Gerais. Fotos exclusivas Portal São José dos Campos
Imagem Zoológico em Buenos Aires, Argentina. Fotos exclusivas Portal São José dos Campos



 
Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2005 - Todos os direitos reservados