Panorâmica São José dos Campos FaceBook do POrtal São José Twitter do Portal São José
Home | Cadastre sua Empresa | Acessos | Fotos da Região | Créditos                               Quarta, 21 de Novembro de 2018
Acesso à página principal
Logotipo Portal São José



  • Envie uma mensagem para Marcia Pavarini...
  • Outras matérias já publicadas...


    Chile - No Vale dos Vinhos. Por Márcia Pavarini.

    Texto e fotos por Márcia Pavarini

    De um lado, emoldurado pela Cordilheira dos Andes, do outro, banhado pelas águas frias do Oceano Pacífico, o Chile, com uma geografia única, abriga, em sua estreita faixa de terra de 4.270 quilômetros de comprimento, maravilhas naturais que vão de norte a sul.

    Desertos, salares, montanhas, vulcões, lagos e as geleiras da Patagônia são algumas das exuberantes belezas com as quais o país brinda o visitante.

    Mas, a sua maior dádiva é o prodigioso solo da área Central em Colchagua que, devido às características típicas, proporciona condições para se produzir os melhores vinhos do Continente com grande expressão no âmbito mundial.

    A geografia vitivinícola chilena pode ser descrita como um espaço alongado, delimitado pela cordilheira dos Andes e pelas montanhas da Costa, fatiado em vales isolados através dos cordões montanhosos transversais.

    É nesse anfiteatro natural que se estende a área das vinícolas. Cada vale possui  uma topografia diferente com influências dos Andes ou dos ventos frios do Oceano Pacífico, elementos que vão interferir no solo, na temperatura e na umidade para que as distintas variedades de uva desabrochem em perfeitas condições climáticas para depois se transformar em vinho de grande qualidade.


    Em recente viagem ao Chile, passando pela rota gastronômica dos vinhos, visitei uma das mais tradicionais e conceituadas Vinícolas, a “Casa Silva” e, também, a mais antiga do Vale de Colchagua, construída no fim do século 19, quando o patriarca Emile Bouchon, primeira geração da família, deixou Bordeux na França em 1892 e se instalou no Vale, iniciando as plantações de vinhedos.


    Situada à uma hora e meia da rota sul de Santiago, na cidade de San Fernando, a sede da Casa Silva mantém as tradições,  a magia e o glamour do século passado, onde  antiguidade e modernidade vivem em perfeita harmonia graças ao empenho do inovador e visionário Mario Silva Cifuentes, casado com Maria Teresa Silva Bouchon, uma das herdeiras do fundador que, em 1977 recupera grande parte da antiga bodega e expande as plantações  .
    Hoje, com mais de 800 hectares distribuídos desde os pés da cordilheira, passando pelo Vale Central de Angostura alcançando a costa, nos diferentes “terroirs”, a Casa Silva é uma vitivinícola de referência internacional.


    No finíssimo restaurante da cave da esquerda para
    direita Mario Geisse Garcia, Gonzalo do Marketing e eu.

    Nosso anfitrião durante a visita à vinícola foi o Sr. Mário Geisse Garcia, engenheiro agrônomo, “expert” em plantação de vinhas e enólogo internacionalmente renomado.

    Mário Geisse é a estrela que faz brilhar o nome da Casa Silva fronteira afora. Seu desvelo obsessivo pelos cuidados de cada muda, nas centenas de hectares, justifica a qualidade das colheitas e as premiações dos vinhos.


    O trator passa expelindo jato quente nas vinhas
    para eliminar fungos evitando o uso de inseticidas.

    Mario Geisse faz uma permanente investigação para descobrir o melhor lugar para plantar cada variedade. Delimitou a área que vinha produzindo as melhores uvas e instalou termômetros para acompanhar a temperatura das parreiras. Fez o estudo do solo através de perfurações geológicas e mapeou o escoamento das águas. Mario monitora, ainda,  a incidência do sol e dos ventos por satélite. Enfim, com essas técnicas, consegue manter a qualidade mesmo quando as condições não são favoráveis.

    Foi com um orgulho incontido que Mario nos levou para conhecer os campos de plantação, os chamados “terroir” dos Lingues , que ficam aos pés da Cordilheira dos Andes, onde os vinhedos de Cabernet, Carmenère e Petit Verdot se perdem de vista numa paisagem bucólica.

    Depois, seguimos para Angostura, no Vale Central, onde ainda existem mudas de Sauvignon Blanc de 1912, bem como Suvignon Gris que é uma especialidade da Casa.


    Estábulo dos puros sangues com os quais os herdeiros
    Silva praticam Pólo e Rodeio nas raias da fazenda.


    Caves subterrâneas que abrigam as reservas mais
    finas, intocáveis para os mortais.


    Desde 1977 a Casa Silva engarrafa com marca própria.


    Degustação de vinhos na Cave da Casa Silva: Sauvignon
    Gris, Chardonet Carmenère, Cabernet Sauvignon e Merlot.


    Na cave há três imensos salões que abrigam
    aproximadamente 2000 barris de Carvalho.


    Jantar no Rancho da família. Da esquerda para a direita:
    Gonçalo, Roberto, Verônica, José (ao fundo) e eu.

    Após a visita à cave, seguimos para os campos de LOLOL.

    Esta plantação de Lolol é também chamada de “Sombras da Costa” porque as montanhas que existem entre os terrenos e a Costa, provocam mais sombra nas vinhas, dando-lhes outras características.

    Em Lolol,  pernoitamos na propriedade da família, uma típica casa de fazenda, com sete suítes em forma de U, cujos antigos balcões e sacadas de madeira dão para um átrio interno. No rancho do terreno, José, o caseiro de 1001 utilidades, nos preparou um jantar dos Deuses regado aos melhores vinhos da casa.

    No dia seguinte, depois de um faustoso desjejum, Mario nos levou para conhecer o “terroir” de “Los Paredones”, a 25 km de Lolol, em direção à Costa.

    Ali, explicou Mário, há uma grande incidência de sol, a terra é mais porosa e, argilosa, com menção à qualidade dos vinhos da variedade Shiraz e Viognier.

    A Casa Silva oferece  visitas programadas que podem ser agendadas através do site: www.casasilva.cl.


    Além de conhecer a Adega, a Cave e as vinhas, o visitante pode desfrutar do finíssimo cardápio do Restaurante da Cave e hospedar-se no histórico e centenário Hotel Boutique “Casa Silva”, restaurado para oferecer grande conforto, mantendo o mais puro estilo de campo chileno.

    E, mesmo fora do Chile, caso queira degustar um vinho da CASA SILVA, esteja você no Brasil, na França ou no Cazaquistão (alguns dos países para onde exporta) é só chamar o garçom!


    Fonte: Marcia Pavarini


  • Galeria e Imagens



    Márcia Pavarini
    Ao longo de vários anos Márcia Pavarini percorreu o mundo viajando por todos os continentes e até aos Pólos. Foi anotando suas aventuras em diários que, hoje, perfazem aproximadamente 5.000 páginas. Ela esteve, até agora, em 240 países, de acordo com o critério de contagem da Travelers Century Club TCC. Na Coluna “Diário das 1001 Viagens” Márcia Pavarini divide com os internautas, do Portal, as experiências vivenciadas durante suas andanças.

    + Agenda
    Imagem São José comemora 251 anos com blues, samba, MPB e ópera
    + Coluna Zoo
    Cadastro gratuito para as castrações de cães e gatos em São José dos Campos
    + Empresarial
    Senac São José dos Campos realiza atividades gratuitas para incentivar o empreendedorismo
    + Espaço do Consumidor
    Imagem Locador de imóvel reclama a imobiliária de São José dos Campos o pagamento do IPTU atrasado
    + Esporte
    Imagem Judô no Tênis Clube
    + Matérias
    Imagem EDP orienta sobre instalação segura de enfeites natalinos
    + Meio Ambiente
    Imagem Pesquisa apresenta perfil atual das onças-pintadas na América do Sul
    + Poesia da Arte
    Por Sonia Furquim
    + Turismo Diferente
    Imagem Portal São José no Sul - Parte 6: Caminho para Cânion Itaimbezinho em Cambará do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil

     + Promoções
    Imagem Black Friday Natura - Claudia Mendonça: Consultora Digital Natura
    Imagem Black Friday Aliança Francesa São josé dos Campos!
     + Classificados
    • ALUGO apartamento cobertura em Campos do Jordão

     
    Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2005 - Todos os direitos reservados