Panorâmica São José dos Campos FaceBook do POrtal São José Twitter do Portal São José
Home | Cadastre sua Empresa | Acessos | Créditos                               Quarta, 20 de Fevereiro de 2019
Acesso à página principal
Logotipo Portal São José



  • Envie uma mensagem para Marcia Pavarini...
  • Outras matérias já publicadas...


    Termas de Gellért - Borbulhante atração de Budapest
    Postado em 07/07/2009

     

    Ali  hospedaram-se reis e rainhas, celebridades políticas, artísticas e vários Presidentes. A suíte presidencial de nº 318 ainda conserva a placa com o nome do Presidente  Richard Nixon.

    O Hotel Gellért, fundado em 1918 às margens do Rio Danubio e aos pés da montanha do mesmo nome, é uma jóia da Hungria em pleno coração de Budapest.


    Sua imponente fachada e a esplendida vista para o rio, já inspiraram pintores, músicos, poetas e escultores. Esse elegante hotel, com uma arquitetura única em estilo “Art Nouveau” abriga a mais deslumbrante piscina e termas medicinais da história contemporânea, o Gellert Bath.

    As águas termais do Hotel Gellért oferecem água rica em cálcio num ambiente de requinte e glamour. É o mais extraordinário Spa  de todo leste europeu. Está situado na margem oposta do rio, em Buda, cruzando-se o Danúbio pela exuberante Ponte das Correntes - a mais emblemática entre todas as pontes e um dos principais símbolos da cidade.

    Em torno de 89 a.C.,  os romanos fundaram a cidade de Aquincum, na margem direita do Danúbio,  local que viria  tornar-se Ôbuda (Óbuda, em húngaro, "Velha Buda"; hoje um subúrbio de Budapeste). De 106 d.C. até o século IV, Aquincum foi a capital da província romana da Panônia Inferior. Do outro lado do rio, foi surgindo ao longo do tempo uma povoação que se chamaria Peste. Dois mundos na mesma cidade, o Buda e o Pest, divididos por um rio e unidos pela tradição.

    Em 1873, houve a fusão das cidades (Buda, parte alta, na margem direita do Rio Danúbio) e Peste(parte baixa, na margem esquerda) formando-se, assim,  “Budapeste”. Estendendo-se por ambas as margens do rio Danúbio, a cidade, que é conhecida pelas suas termas, possui um rico patrimônio cultural e histórico. Atualmente, Budapeste tem cerca de 2 milhões de habitantes, denominados budapestinos.

    A Hungria (em húngaro, Magyarország), oficialmente República da Hungria (Magyar Köztársaság), é um país sem saída para o mar, na planície da Panônia, na Europa Central. Limita-se com Áustria, Eslováquia, Romênia, Ucrânia, Sérvia, Croácia e Eslovênia. Sua capital, a cidade de Budapeste, é a maior do país.

    Budapeste é conhecida como a “Pérola do Danúbio”. Banhada por este rio e palco de uma arquitetura nobre e imponente é uma cidade de contrastes, onde novo e velho, tradicional e  moderno convivem lado a lado em perfeita harmonia de formas e espaços. A efervescência própria dos tempos de mudança resulta numa urbe bela, fascinante e surpreendente. O visitante pode descobrir seus encantos nos banhos termais, nas agitadas noites de Peste em clubes recheados de diversão, nos monumentos históricos, navegando pelo Rio Danubio ou cruzando as sua extraordinárias pontes, passeando pelas ruas de pedra das cidadelas medievais, ou simplesmente degustando um café na badalada rua Váci Utca.

    Foi numa viagem de barco pelo rio Danúbio que o músico Johan Strauss inspirou-se para criar a obra prima “An der schönen blauen Donau”, que haveria de ficar registrada nos anais da história da música do século XIX, como “O Danúbio Azul, que, verdade seja dita, não tem a cor da canção.

    No alto da colina Gellért,  ergue-se,  soberbo, o Palácio Real, residência dos reis húngaros durante 700 anos, construído no século XIV e reconstruído em estilo barroco 400 anos mais tarde. Atualmente, funciona como museu e Biblioteca Nacional. Nada melhor do que uma caminhada pelas ruas medievais para apreciar o panorama do lado de Peste e o hipnotisante rio Danubio.

    Próximo ao Palácio Real, fica a Igreja Matthias, com 700 anos, onde os reis eram coroados.

    Uma das  atrações turísticas é o chamado Bastião dos Pescadores, um miradouro monumental de onde se tem uma vista panorâmica da cidade, do suntuoso Parlamento em estilo neo-gótico e da famosa Ponte Széchenyi ("Chain Bridge")sobre o onipresente rio Danubio.

    A combinação de Castelos medievais, fontes termais, imponentes pontes sobre o Rio Danubio e a rica diversidade cultural, fazem da bela capital da Hungria um surpreendente destino do leste europeu, a espera de ser desvendado.

    PASSEIOS IMPERDÍVEIS
    1. Boulevard  Váci utca com as suas lojas elegantes, cafés e restaurantes.
    2. Basílica de St. István (São Estevão) é a maior igreja de Budapeste, construída em estilo neo-renascentista.
    3. O Museu Nacional é o melhor monumento da arquitectura húngara clássica.
    4. O antigo bairro judeu Erzsébet (maior sinagoga da Europa com lugar para 3000 pessoas). O bairro deve ser explorado a pé.
    5. Parlamento da Hungria é talvez o mais famoso edifício da cidade, no seu estilo sumptuoso neo-gótico de grande dimensão.
    6. Caminhando pelo Andrássy Boulevard encontra-se lindas mansões dos séculos XIX e XX e também a Ópera de Budapeste.

    Endereço do Hotel Gellért:
    Danubius Hotel Gellért
    H-1111 Budapest, Szent Gellért tér 1
    gellert.reservetion@danubiushotels.com


    Fonte: Márcia Pavarini




  • Márcia Pavarini
    Ao longo de vários anos Márcia Pavarini percorreu o mundo viajando por todos os continentes e até aos Pólos. Foi anotando suas aventuras em diários que, hoje, perfazem aproximadamente 5.000 páginas. Ela esteve, até agora, em 240 países, de acordo com o critério de contagem da Travelers Century Club TCC. Na Coluna “Diário das 1001 Viagens” Márcia Pavarini divide com os internautas, do Portal, as experiências vivenciadas durante suas andanças.


    + História
    Imagem Fotos eclipse. Por Hind Nader Elkhouri
    + Museu do Comércio e Indústria
    Imagem Vamos homenagear as marcas, empresários e funcionários que estão em nossa memória afetiva.
    + São José Solidária
    Imagem Cruzada Assistencial Padre João Guimarães
    + Imigração Libanesa
    Imagem Imigrante libanesa, residente em São José dos Campos, vence prêmio mundial de fotografia com foto do Banhado
    + Educação
    Abertas inscrições para bolsas PCI em áreas do INPE
    + Espaço do Consumidor
    Imagem Locador de imóvel reclama a imobiliária de São José dos Campos o pagamento do IPTU atrasado
    + Matérias
    Imagem No aeroporto, Globo Repórter embarca na temporada 2019. Assista ao vídeo
    + Turismo Diferente
    Imagem Fotos exclusivas: Curarrehue é uma comuna do Chile, da Província de Cautín
    + Class Arte & Cultura
    Imagem Silvia Regina: Artista Plástica



     
    Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2005 - Todos os direitos reservados