Panorâmica São José dos Campos FaceBook do POrtal São José Twitter do Portal São José
Home | Cadastre sua Empresa | Acessos | Créditos                               Quarta, 29 de Junho de 2022
Acesso à página principal
Logotipo Portal São José



  • Envie uma mensagem para Marcia Pavarini...
  • Outras matérias já publicadas...


    "Tesouros" da Itália - Civita di Bagnoregio, a aldeia "moribunda"
    Postado em 10/06/2022

    Por Márcia Pavarini - Texto e fotos  

    A Itália é a queridinha dos brasileiros. Seja porque o Brasil é o país com o maior número de Ítalo-descendentes fora da Itália, (por volta de 25 milhões), seja porque o país da bota detém um número recorde de monumentos tombados pela UNESCO, (53 ao todo), o fato é que ela ocupa o rol dos destinos preferidos entre os viajantes do Brasil.

    Em busca de lugares perdidos no tempo, descobri Civita di Bagnoregio, a aldeia medieval mais evocativa da Itália, que merece estar na sua lista de visitas. Ela é, praticamente, uma cidade "cenário".

    Essa encantadora vila, que mais parece um presépio, emerge majestosa do alto da rocha a 443 metros acima do nível do mar. 

    A pequenina Vila de Civita di Bagnoregio parece estar parada no tempo. minúscula e solitária, é acessível apenas a pé, ao longo de uma ponte suspensa.

    Civita di Bagnoregio é um lugar mágico, surreal, fantástico, acessível, apenas,  por uma estreita ponte de 300 metros, para pedestres, a partir da qual, é possível desfrutar de uma das vistas mais espetaculares de toda região do Lácio.


    A CIDADE QUE MORRE


    Civita tem uma particularidade: ela está MORRENDO.

    O apelido de "cidade que morre", "cittá che muore”, é devido à erosão constante das rochas de tufo, sobre a qual está assentada, bem como, pelos constantes terremotos da região, (a cidade perde em média, 7 cm todo ano).


    Devido o ritmo das erosões, ao longo dos séculos, os habitantes de Civita di Bagnoregio foram abandonando a cidade, e se instalando numa vila próxima, denominada apenas "Bagnoregio", que não deve ser confundida com "Civita di Bagnoregio"

    Hoje, segundo o censo demográfico, existem apenas 7 habitantes fixos, enquanto, durante a temporada de verão, calcula-se que 100 pessoas vivem ali, administrando lojas, restaurantes e pousadas. Isso, porque toda população debandou-se para a vila de Bagnoregio, onde há toda uma infraestrutura de cidade.

    Civita di Bagnoregio é alimentada pelo turismo, e atrai milhares de visitantes todos os anos. Essa pequena cidadela fica a meio caminho entre Orvieto e o Lago Bolsna.

    Parada no tempo e no espaço, Civita di Bagnoregio é, sem dúvida, uma das aldeias mais encantadoras da Itália.


    CIVITA DI BAGNOREGIO
    Como nasceu e porque está morrendo

     

    Civita de di Bagnoregio foi originalmente fundada pelos etruscos por volta do ano 478 a.C. Os Etruscos representam uma das civilizações da antiguidade que habitaram a península itálica, a partir do século IX a.C.

    Naquela época, Civita di Bagnoregio consistia em uma única aglomeração urbana e, no local da atual Civita, havia a acrópole com templos, um fórum, e era o centro da vida civil e religiosa de toda a cidade.  Depois dos etruscos, vieram os romanos, visigodos, bizantinos, lombardos, até que a região foi dada à Igreja por Carlos Magno. Entretanto, existem apenas evidências daquela época distante.

    A Civita di Bagnoregio que vemos hoje é, basicamente, uma cidade medieval.

    Rodeado entre dois rios, o Rio Chiaro e Rio Torbido, cercado e protegido pelo Valle dei Calanchi, este pequeno planalto ocupava uma posição estratégica.

    Cientes da instabilidade e fragilidade da área, os antigos habitantes realizaram obras para protegê-la de desmoronamentos e dos abalos sísmicos, construindo drenos para o escoamento correto da água das chuvas. Mas as obras foram negligenciadas na época dos romanos, e o território teve uma rápida degradação, que a levou ao abandono. Infelizmente, até os dias de hoje, a base da colina continua sofrendo erosão contínua, tanto pela ação dos dois rios, como pela chuva e ventos, por essa razão, Civita di Bagnoregio é denominada de "cidade moribunda"

     

    O QUE VER EM CIVITA DI BAGNOREGIO
     

    Para se chegar em Civita, é preciso passar primeiro pelo Município de Bagnoregio, para depois chegar à Via Bonaventura Tecchi, onde você pode deixar o carro e continuar pela longa ponte que leva ao centro da Cidadela Moribunda.

    Arme-se de câmera, porque a cada passo você vai se deparar com um panorama de tirar o fôlego, formado por ravinas, esculpidas por milênios de erosão hídrica.
     

    PONTOS DE INTERESSE

    Depois de atravessar a ponte, a Porta de San Maria é o primeiro monumento importante encimada por um par de leões. O centro histórico é uma atração à parte, os principais pontos de interesse, são: Palácio nobre dos Colesanti; Palazzo degli Alemanni; Museu Geológico; Gruta de San Bonaventura, uma antiga tumba escavada num muro de tufo; Igreja romana de San Donato, que abriga um crucifixo de madeira do século XV e um belo afresco.

    A Piazza San Donato é o coração pulsante da histórica Cidadela. Todo centro urbano é orientado de acordo com a Piazza San Donato, onde está localizada a principal Igreja do mesmo nome.

    Muitos casais realizam matrimônios nessa romântica igrejinha de San Donato. Por sorte, fui brindada com esse evento, durante minha visita à Civita di Bagnoregio.


    Os palácios renascentistas impõem-se nos becos, com as típicas edificações de rochas, com varandas e escadas externas, características da arquitetura medieval. Há muito o que descobrir nessas vielas. Na parte leste, descortina-se a espetacular vista dos enormes paredões de argila, sobre o qual reina a vila.

    Um dos pontos mais espetaculares do centro de Civita é o Belvedere, de onde se tem uma vista direta para o precipício e de todo Valle dei Calanchi.

    Visitar Civita é como entrar no túnel tempo e se deparar com a incrível atmosfera medieval das antigas edificações de pedra.

    Vale a pena "perder-se" nas ruelas, para apreciar cada cantinho que nos remontam a séculos passados, admirar as vistas mais evocativas, e explorar as ravinas, sem seguir um itinerário preciso, deixando-se guiar pela própria beleza do lugar.


    ONDE FICA CIVITA DI BAGNOREGIO


    Civita di Bagnoregio fica cerca de 122,6 quilômetros ao norte de ROMA, a capital da Itália”; e cerca de 180 quilômetros ao sul de Florença. Florença é o berço do Renascentismo e ponto obrigatório para amantes da arte e cultura, por isso, o ideal, é incluir essas duas cidades no roteiro da viagem à Civita di Bagnoregio.


    Como chegar a Civita di Bagnoregio

    A maneira mais prática de chegar em Civita di Bagnoregio, sem dúvida, é de carro, para evitar horas de deslocamento com outros meios de transporte. Vale saber que, carros não circulam dentro da cidadela medieval, assim, devem ficar no estacionamento, que fica a mais ou menos 15 minutos de caminhada, até a ponte de acesso.

    O estacionamento custa por volta de €2 Euros a hora

    Mas se você não se importa em caminhar, pode deixar o carro num estacionamento na cidade de Bagnoregio (cidade base para a visita a Civita di Bagnoregio) e caminhar por uns 2,3 quilômetros até a base da ponte de pedestre.

    Durante a temporada de verão, e nos finais de semana, o estacionamento mais próximo à ponte lota rapidamente. Então, a melhor opção, mesmo, é estacionar na cidade de Bagnoregio.


    Bilhete de entrada

    Além de pagar o estacionamento, é preciso comprar o bilhete de entrada da cidadela, que custa por volta de €3 dias de semana por pessoa e €5 nos finais de semana e feriado. Menores de 6 anos não pagam.


    Quanto tempo leva para visitar a cidadela

    Para desfrutar dos pontos de interesse, da paisagem e ainda degustar as comidinhas “veramente italianas” nos restaurantes locais, você pode planejar a visita por volta de duas a três horas.

    ”Buon Viaggio”


    Fonte: Por Márcia Pavarine - Texto e fotos




  • Márcia Pavarini
    Ao longo de vários anos Márcia Pavarini percorreu o mundo viajando por todos os continentes e até aos Pólos. Foi anotando suas aventuras em diários que, hoje, perfazem aproximadamente 5.000 páginas. Ela esteve, até agora, em 240 países, de acordo com o critério de contagem da Travelers Century Club TCC. Na Coluna “Diário das 1001 Viagens” Márcia Pavarini divide com os internautas, do Portal, as experiências vivenciadas durante suas andanças.

    + Dicas do Portal
    Imagem Colônia de Férias Emak Objetivo
    + Espaço do Consumidor
    Imagem Consumidor reclama da falta de comunicação com a Sky. Empresa responde
    + História
    Imagem Fotos eclipse. Por Hind Nader Elkhouri
    + Museu do Comércio e Indústria
    Imagem London Bar

     
    Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2005 - Todos os direitos reservados