Vista do Villa Branca Website Portal Jacareí Fanpage Portal Jacareí
Home | Cadastre sua Empresa | Créditos                                                                              Terça, 23 de Abril de 2019
Logotipo Portal Jacareí
Acesso à página principal


  • Envie uma mensagem para Marcia Pavarini...
  • Outras matérias já publicadas...


    Eisriesenwelt, a Maior Caverna de Gelo do Mundo – O Milagre da Mãe Natureza

    Misteriosa e surpreendente, a Caverna de Gelo EISRIESENWELT, na Áustria, abre as portas para um mundo mágico nas entranhas geladas da Terra

    Texto e fotos externas - Por Marcia Pavarini
    Fotos (interiorda caverna): Publicidade da Eisriesenwelt


    Muita coisa já me tirou o fôlego na vida, mas a caverna de gelo EISRIESENWELT, além do fôlego, me arrancou lágrimas, tal a magnitude e beleza desse extraordinário capricho da natureza.

    Nas entranhas da Terra, muito abaixo dos picos nevados dos Alpes Austríacos, na Cordilheira Tennengebirge, desenrola-se um inusitado fenômeno natural, responsável por uma das mais espetaculares formações subterrâneas de gelo do Planeta. Trata-se do sistema da Caverna EISRIESENWELT, a maior Caverna de Gelo do mundo, única em dimensão, magnitude e imponência.

    O sistema da caverna funciona mais ou menos assim: durante as estações da primavera e verão, as águas do degelo filtram pelas rochas, e vão gotejando até as paredes baixas da caverna, que se mantêm congeladas, durante todo o ano, pelo vento gelado do inverno.

    Ali, ao entrar em contato com o ambiente a 0 grau Centígrado, a água passa para o estado de congelamento. Ao congelar, vai impregnando nas paredes rochosas e se transformando nas mais espetaculares e inusitadas formas e figuras de gelo, com proporções gigantescas. São cascatas e túneis de gelo, pirâmides, estalactites, estalagmites, montanhas e lagos congelados.

    Eisriesenwelt, que em alemão significa “Terra dos Gigantes de gelo” é a maior e mais impressionante formação de cavernas de gelo do mundo.

    A caverna de Eisriesenwelt foi criada pelas águas do Rio Salzach que atravessava por dentro da montanha ao longo de mais de 100 milhões de anos.

    Misteriosa, excitante e acessível apenas com guia e uma lanterna de gás, a maior caverna de gelo do mundo impressiona e hipnotiza os visitantes.

    Eisriesenwelt é um monumento nacional e só pode ser explorada por guias oficiais, por isso, os passeios são feitos por instrutores especializados que fazem uma explanação geológica e científica das formações de gelo e seu descobrimento.

    A cidade base para realizar a visita à caverna de EISRIESENWELT é a charmosa e histórica Werfen, a 80 km de Salzburg, na Áustria.

    Werfem, está a apenas 5 Km da entrada do Parque Nacional Eisriesenwelt, onde fica o estacionamento e a sede administrativa, com as bilheterias, lanchonete, facilidades, e a loja de souvenir.


    1ª Etapa - A CAMINHADA

    O acesso à caverna é feito em etapas. A partir da sede administrativa, onde fica o estacionamento, inicia-se a primeira etapa, uma caminhada a pé, de uns 25 minutos morro acima, (carro não entra). O caminho atravessa um lírico túnel rústico, cavado na rocha.

    2ª Etapa - O TELEFÉRICO
    Um "pit stop" para o melhor strudel da Europa



    O trajeto em aclive segue até o ponto de onde sai um Teleférico, que leva o visitante para a segunda etapa a 1.574 metros acima do nível do mar. Ali, fica o restaurante Dr. Oede Haus, uma ótima parada, para um merecido descanso, e onde se come o melhor Apple Strudel (torta de maçã) da Europa.


    Do restaurante Oede Haus, se tem uma vista panorâmica da cidade de Werfen, no Vale, e da imponente Fortaleza ERLEBNISBURG HOHENWERFEN, que é outra atração imperdível da cidade. A Fortaleza, muito bem preservada, remete o visitante ao século XIº, com a envolvente história da Áustria e da centenária prática da falconaria.

    3ª Etapa – PASSARELA NAS ALTURAS

    Nesse ponto, inicia-se terceira etapa, mais um trecho íngreme a pé por uma passarela que serpenteia a montanha rochosa e que parece não ter fim. A essas alturas, o fôlego começa a ficar curto em razão da altitude. São outros 25 minutos num considerável aclive, até a boca da caverna, uma monumental abertura natural na rocha, que lembra um anfiteatro, que é a entrada propriamente dita.

    A ENTRADA


    Nesse anfiteatro natural rochoso, o guia se apresenta e reúne os visitantes por grupo de idioma (alemão/inglês). Depois de algumas explicações sobre as normas da visita, o guia fornece 1 (um) lampião, (para cada duas pessoas), com chama de magnésio. Seguido pela fila indiana de visitantes, o guia, finalmente, dirige-se para uma porta de ferro, que separa o mundo exterior das entranhas da mágica caverna de gelo.

    CORREDOR DE VENTO

    “Preparem-se para a forte corrente de vento”. Essa foi a advertência do guia antes de abrir a porta de ferro, que dá acesso ao interior da caverna. Por mais que a gente se prepare, a rajada surpreende pela força. É um verdadeiro “tsunami” de vento gelado, que quase nos fez dar um passo para trás. É justamente esse vento gelado de 0 grau centígrados, o responsável pelo congelamento das águas (do degelo que filtram pela rocha) e pelas extraordinárias esculturas e formações de gelo.

    Dentro da caverna, a visão é estarrecedora. É difícil exprimir o impacto do cenário prodigioso, motivado pelas colossais formações de gelo de um intenso azul celeste. São momentos de êxtase e arrebatamento que vão se misturando com o entusiasmo e a contemplação. A sensação é de entrar num castelo de cristal no mundo mágico da Disney.


    São colunas de estalactite, estalagmite, tuneis, cascatas, lagos congelados e montanhas de gelo que chegam a 25 metros de profundidade e altura, com gelo acumulado que chega atingir 5 mil anos de existência.


    A caverna possui 41km de comprimento, mas apenas 1Km foi explorado para visitação. A visita dentro da caverna é feita por uma escadaria, que percorre toda extensão.  São fabulosos 1.400 degraus, em vários níveis, num circuito de 2 horas, passando pelas principais formações.


    A formação mais impressionante, que arranca suspiros e ovações dos visitantes, é o túnel de gelo azul, que envolve um trecho da escadaria.

    O primeiro explorador a descobrir Eisriesenwelt foi Anton Von Posselt em 1879. Mais tarde, outros pesquisadores continuaram a explorar e abrir novas passagens.

    Em 1920, a construção de um alojamento para os exploradores e as primitivas instalações de escalada, fora e dentro da caverna, por Friedrich Oedl e outros exploradores, facilitaram a visitação ao público. Finalmente, em 2015 um novo Teleférico passou a operar, substituindo o antigo de 1955.

    Ao desvendar as entranhas das rochas, atravessar salões colossais, e deslumbrar a ousadia da natureza, a gente se dá conta de que está adentrando em outro mundo, como se fosse uma viagem ao centro da Terra.

    Eisriesenwelt, a maior caverna de gelo do mundo, é um silencioso e encantador mundo subterrâneo, que fascinao visitante com suas surpreendentes formações.

    A visita à Eisriesenwelt, é uma inesquecível emoção que fica tatuada na memória.

    COMO CHEGAR

    De carro: Partindo da cidade de Werfen, são 5 km por uma estrada asfaltada até o estacionamento do Centro de visitantes do Eisrisenwelt.

    De ônibus Público: Para quem não quer se preocupar com estacionamento, que muitas vezes está lotado, pode ir com o ônibus público local que parte de Werfen.

    Com Tour a partir de Salzburg: Várias agências de viagens oferecem pelo menos uma partida para Eisriesenwelt por dia, de Salzburg. É possível se informar sobre o tour no próprio Hotel em Salzburg ou nos links abaixo:

    https://www.edelweisstourssalzburg.com
    https://www.salzburg-sightseeingtours.at
    https://www.panoramatours.com

    Uma advertência na entrada alerta o visitante:

    1) Para fazer o passeio é necessário um bom condicionamento físico, face aos longos trechos em aclive , a altitude e os 1.400 degraus dentro da Caverna.
    2) Ir muito bem agasalhado, pois dentro da caverna a temperatura se mantém a 0 Grau Centígrados, mesmo durante o verão. A dica é agasalhar-se com “efeito cebola”, com várias camadas de agasalho, porque a subida é longa e o suor brota, mas dentro da caverna faz muito frio.
    3) O passeio todo dura 4 horas. A dica é chegar cedo, na abertura do Parque, às 9 hs, para não pegar a hordas de turistas e filas no teleférico.



  • Ao longo de vários anos Márcia Pavarini percorreu o mundo viajando por todos os continentes e até aos Pólos. Foi anotando suas aventuras em diários que, hoje, perfazem aproximadamente 5.000 páginas. Ela esteve, até agora, em 220 países, de acordo com o critério de contagem da Travelers Century Club TCC. Na Coluna “Diário das 1001 Viagens” Márcia Pavarini divide com os internautas, do Portal, as experiências vivenciadas durante suas andanças.

     
    Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2005 - Todos os direitos reservados